A Grande Criação

De Tibia Wiki
Edição feita às 18h33min de 11 de setembro de 2012 por Animatronio (disc | contribs)

(dif) ← Versão anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Ir para: navegação, pesquisa

Em sua divina sabedoria Uman percebeu que Tibiasula poderia ser uma poderosa aliada no projeto de criação, e logo a convidou para se juntar a Fardos e a ele no grande trabalho que estavam fazendo antes do nascimento de Tibiasula, ela que estava intrigada com a idéia da criação, foi facilmente convencida. Então passou a existir três criadores onde, antes havia somente dois. Juntos eles trabalharam com um vigor renovado, porém, desta vez, seguiram um caminho diferente. Uman percebeu que alguma coisa estava faltando, um ponto fixo, um fundamento firme, de onde a criação pudesse ser tirada. Sem isso não havia condições de gastarem suas forças, e todos seus esforços seriam novamente em vão, então Uman inventou o Tempo! Ele sabia que se o vácuo fosse colocado em movimento e submetido ao eterno fluxo do tempo, seria muito mais fácil concentrar seus poderes divinos.

E quando finalmente uma imensa espiral tomou forma no vácuo, a coluna de cristal do tempo que seria o fundamento de toda criação foi formada.


Primeiramente o tempo deveria ser criado. Para esse fim, todos os deuses combinaram seus poderes. Até mesmo Zathroth, a metade malvada de Uman que abertamente desprezava a criação, estava fascinado com a idéia do tempo, e ele aceitou ajudar os outros deuses anciões em seus esforços. Ele aceitou prontamente, mas os outros deuses não sabiam o que ele tinha observado desde o início: que o tempo segurava a semente da destruição. Ele entendia que um mundo que estava sujeito a passagem de tempo estava condenado a perecer lentamente, e foi por isso que ele aceitou trabalhar junto neste projeto da criação. E então todos os Deuses anciões trabalharam juntos combinando seus poderes no vácuo. E quando finalmente uma imensa espiral tomou forma no vácuo, a coluna de cristal do tempo que seria o fundamento de toda criação foi formada, os deuses festejaram, porém Zathroth alegrou-se ainda mais do que fez porque sabia que agora toda criação seria corrompida de uma maneira que nunca poderia ser desfeita.

Zathroth se opôs a idéia da criação todo o tempo, ele secretamente planejava sabotar o plano dos outros deuses anciões através de quaisquer meios necessários. Com essa finalidade ele ajudou na criação do tempo, e esta foi a razão que pela qual ele finalmente decidiu matar Tibiasula. Ele guardava rancor dos outros deuses anciões desde que Tibiasula fora criada, porque ele odiava ter que dividir seu status divino com mais uma entidade. Porém seu desgosto se transformou em ódio quando ele viu Tibiasula preencher o espaço que ele, Zathroth, havia deixado quando se recusou a participar da criação. Finalmente ele pensou o impensável. Ele secretamente criou uma adaga com grande poder onde colocou toda sua raiva e poder destrutivo, uma arma apropriada para matar um deus. Então pôs-se a esperar o momento perfeito. E breve esse momento chegaria, num dia fatídico, quando os outros deuses estavam exaustos de trabalhar no término da monumental coluna do tempo, Zathroth usou essa oportunidade e foi ao encontro de Tibiasula. Inocente e completamente desavisada das ações maliciosas de Zathroth, Tibiasula foi uma presa fácil. Zathroth cravou a lâmina em seu coração com toda a força que ele podia ter. Mortalmente ferida a deusa caiu no chão, e de seus ferimentos sangravam os elementos do fogo, água, terra e ar – os componentes de seu divino ser totalmente sem harmonia graças à vergonhosa ação de Zathroth.

Quando os Deuses Anciões souberam desta traição, Uman e Fardos ficaram chocados. Eles tentaram reviver Tibiasula, esperando que ela não fosse sugada pelo vácuo, de escapar de suas mãos como suas primeiras criações. Quando tudo mais parecia falhar, surgiu então um plano desesperado: decidiram fazer uma poderosa magia, que iria fundir o corpo de Tibiasula com a Coluna do tempo. Zathroth gargalhou em triunfo, mas dessa vez ele cometera um erro, porque não ouviu as palavras de Uman e Fardos, ele perdeu a única chance de aprender o segredo da criação, um segredo que estaria escondido dele para sempre. Uman e Fardos porém não conseguiram conduzir os elementos de volta a sua harmonia, mas ao invés disso eles conseguiram fazer algo totalmente novo: A primeira genuína criação.


Resumo

Uman percebeu que Tibiasula seria uma poderosa aliada no projeto de "criação" e, como ela já estava entusiasmada com a idéia, logo se juntou aos demais Deuses. Trabalharam arduamente no projeto, porém Uman identificou a falta de um firme fundamento de onde todas as demais criações deveriam sair. Decidiu criar o tempo.

Zathroth aceitou ajudar, pois havia entendido que o tempo guardava a semente da destruição e tudo o que fosse tirado dali estaria condenado a perecer. Todas as forças divinas reunidas deram origem a uma imensa espiral no vácuo que seria a Coluna do Tempo.

Odiando o fato de ter que dividir seu status divino com mais uma entidade e após perceber que Tibiasula havia ocupado seu espaço na criação, Zathroth planejou secretamente assassiná-la. Criou então uma adaga que concentrava grande poder destrutivo e, após um dia de trabalho exaustivo em um momento oportuno, ele cravou fortemente a adaga no coração de Tibiasula. Dos ferimentos da Deusa agonizante saíram os elementos fogo, água, terra e ar.

Temendo que sua divina criação fosse novamente sugada pelo vácuo, os Deuses fundiram o corpo de Tibiasula à Coluna do Tempo. Os elementos então, impossibilitados de voltarem a viver em harmonia, tomaram seus lugares individuais na criação.


← Capítulo I: O Despertar dos Deuses | Capítulo III: O Nascimento Dos Elementos →
Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Biblioteca
Ferramentas